Title
Home Search Imagebank On-line submission
The Journal All Editions To the authors Contacts
1137 
Ano: 2012  Vol. 16   Num. Suppl. 1  - May - (259º)
DOI: 10.7162/S1809-977720120S1PO-090
Print:
Seção: 11º CONGRESSO DA FUNDAÇÃO OTORRINOLARINGOLOGIA - Poster Otorhinolaryngology
Texto Text in English
RINOSSEPTOPLASTIA EXTRACORPOREA
EXTRACORPOREAL RHINOSEPTOPLASTY
Author(s):
Emidio Oliveira Teixeira, Juliano de Oliveira Sales
Resumo:

A rinosseptoplastia extracorpórea consiste na remoção total do septo cartilaginoso e ósseo, com tratamento dos desvios fora do seu leito, e sua reinserção como um enxerto livre. Possui grande relevância na decisão cirúrgica de determinados desvios septais pois embora possa ser simples a correção de um desvio leve com as abordagens clássicas, o mesmo não pode ser dito para os desvios septais graves. Estudos recentes demonstram ser esta uma técnica mais eficiente para tais desvios, com risco de complicações não superiores às técnicas clássicas e podendo ser realizada por até mesmos cirurgiões menos experientes com resultados comparáveis aos mais experientes. Discutimos a tal técnica no contexto da evolução da septoplastia, abordando indicações, técnica, resultados, complicações e nossa experiência.

Abstract:

The rhinoseptoplasty is the total removal of extracorporeal septal cartilage and bone, and the treatment of deviations outside of the bed, and their return as a free graft. It has great relevance in the decision of certain surgical septal deviations as though it may be simple to correct a slight deviation to the classical approaches; the same cannot be said for the severe septal deviations. Recent studies show that this is a more efficient technique for such deviations, with the risk of complications is not superior to conventional techniques and can be performed by less experienced surgeons to them with results comparable to those more experienced. We discuss this technique in the context of the evolution of septoplasty, addressing indications, technique, results, complications and our experience.

.
  Print:

 

All right reserved. Prohibited the reproduction of papers
without previous authorization of FORL © 1997- 2014